Mesa de Igualdade de Oportunidades da Contraf-CUT discute questões raciais

Mesa de Igualdade de Oportunidades da Contraf-CUT discute questões raciais Destaque

Mesa de Igualdade de Oportunidades da Contraf-CUT discute questões raciais



Nesta quinta-feira (1º), em São Paulo, a Contraf CUT e a Febraban se reuniram na mesa temática de Igualdade de Oportunidade para discutir questões raciais, contratações e ascensão profissional no sistema financeiro.

Os representantes dos trabalhadores pediram uma resposta concreta às reivindicações apresentadas e que, efetivamente, ajude a diminuir as desigualdades nos locais de trabalho. Também ressaltaram a necessidade de se criar um novo Mapa da Diversidade diante da reestruturação do sistema financeiro em curso. 

A Febraban apresentou o Mapa da diversidade com o recorte da questão racial e apontou um aumento de contratação de negros. Em 2008, segundo os dados, havia 19% de negros. Em 2014, o índice subiu para 24,7%, um aumento 5,7%. Sobre a pesquisa, a Contraf-CUT cobrou dados mais detalhados. A Febraban não se manifestou a esse respeito. 

Para o diretor do Sindicato Jefão Meira, o racismo é institucional. "É notória a dificuldade de ascensão profissional da negra e do negro mesmo tendo, e até mesmo superando, as qualificações necessárias para ocupar os cargos existentes”, afirma.

“A Fenaban, mais uma vez, enrola e não apresenta projetos e políticas concretas de combate ao racismo. Os bancos são concessões públicas, porém a população brasileira, formada por maioria negra, não se enxerga quando é atendida numa instituição financeira”, destaca Jefão.

PEC 55/16

Os representantes dos trabalhadores também levantaram problemas relacionados aos impactos da PEC 55/16 sobre a vida da população negra, principalmente nas questões de saúde e educação. Conhecida como a PEC da morte, a proposta tem como objetivo congelar investimentos do governo em áreas estratégicas como saúde, educação e assistência social. Nesta terça-feira (29), o texto foi aprovado no Senado por 61 votos a 14. Agora, segue para análise em segundo turno, no dia 13 de dezembro.

Agenda

A próxima mesa está prevista para acontecer em fevereiro. Na ocasião, serão discutidas questões relativas à identidade de gênero e paternidade responsável (licença paternidade).

Comissão da Escravidão Negra
Na segunda-feira (28), a Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra no DF e Entorno, do Sindicato dos Bancários de Brasília, apresentou relatório preliminar com dados sobre a discriminação com a população negra. 

Da Redação, com informações da Contraf-CUT