Bancários fazem grande ato em frente ao Edifício Brasília

“EU SOU + BRB”

Bancários fazem grande ato em frente ao Edifício Brasília Destaque

Bancários fazem grande ato em frente ao Edifício Brasília

Com o mote “Eu Sou + BRB”, o Sindicato dos Bancários de Brasília e a Federação dos Bancários do Centro Norte (Fetec-CUT/CN), juntamente com os funcionários do BRB, fizeram na sexta feira, 1º de fevereiro, um ato público em frente ao Edifício Brasília em defesa do banco como instituição pública e do DF.

Dezenas de funcionários da Direção Geral e também de outras unidades do BRB participaram da manifestação. Todos foram unânimes em afirmar que o BRB é maior do que um pequeno número de gestores que mancham o nome do banco, conforme o ocorrido na semana passada, quando a Polícia Federal e o MPF deflagraram a operação Circus Maximus, que investiga a utilização do BRB em operações nebulosas.

“O BRB é uma empresa que conta com mais de 3.100 funcionários e outros mais de 1.000 terceirizados, menores aprendizes, estagiários e prestadores de serviços. Este universo compõe uma família que trabalha diuturnamente com dignidade, honradez e profissionalismo para melhor atender a sociedade do DF. Não são duas ou três pessoas que mancharão nosso nome”, desabafa Raquel Lima, diretora do Sindicato.

“Nós estamos aqui para mostrar à sociedade do DF que, assim como ela e toda a sociedade brasileira, nos indignamos com o que algumas pessoas tentam fazer com o BRB. Este banco é do povo de Brasília e continuará sendo. Estamos na linha de frente, juntamente com todos os empregados, diretos ou indiretos, na luta por um banco público de verdade, que sirva aos interesses da sociedade, que seja um agente gerador de emprego, renda e cidadania”, complementa Samantha Sousa, diretora da Fetec-CUT/CN.

O Sindicato e todos os empregados do banco repudiam quaisquer atitudes danosas ao banco e requerem apuração minuciosa de todas as operações suspeitas. O Sindicato e os empregados reiteram ainda repulsa veemente a qualquer tentativa de utilização desta situação para fins contra a permanência do BRB como um banco público a serviço da sociedade de Brasília e Entorno, bem como de toda área de sua abrangência.

A entidade sindical ressalta ainda a participação dos integrantes da AEBRB no ato e conclama à união de todas as forças representantes do BRB na defesa dessa instituição. 

Reunião com o presidente do BRB

Após o ato, os dirigentes sindicais se reuniram com o novo presidente do BRB, Paulo Henrique, cuja posse ocorreu na quinta-feira 31 de janeiro. Na reunião, o Sindicato cobrou mais uma vez uma posição referente à manutenção do BRB público. Paulo Henrique, a exemplo de reunião ocorrida em dezembro de 2018 com o Sindicato, ainda na transição de governo, reafirmou que o compromisso assumido com o governador é o de que ele viria para o BRB desde que não existisse pauta de privatização no horizonte.

O presidente afirmou ainda que tem uma trajetória de mais de 20 anos prestados em defesa de um banco público, a Caixa Federal, e o compromisso dele é fazer com que o BRB seja um banco público de referência no DF e região. Mais uma vez disse que a agenda que se coloca para ele, sua equipe e para o conjunto dos empregados é uma agenda de crescimento, de retomada do papel relevante que o BRB tem de ter na região. Paulo reafirmou que o banco precisa crescer e crescerá, será fortalecido como banco público e que o governo trabalha com a perspectiva de abertura de agências e expansão para além das praças onde hoje atua.

Paulo Henrique mais uma vez afirmou que outro compromisso dele é com a valorização dos funcionários, com a efetiva satisfação e felicidade de quem se dedica de forma tão intensa à instituição.

Cobrado sobre as ações acerca das denúncias que pesam sobre o BRB, Paulo disse que determinou rigorosa apuração interna das operações colocadas em xeque pela investigação em curso, e de uma verificação minuciosa das operações dos últimos anos, e que qualquer desvio detectado será alvo de investigação e suas consequências caso se constate alguma irregularidade.

Paulo Henrique se solidarizou com o movimento em defesa do BRB, disse ser mais um soldado nesta luta pela preservação e fortalecimento do banco, e que tem certeza de que os funcionários do BRB são dedicados, honestos, dignos e honrados, e que precisa deles nesta trajetória que pretende imprimir para o crescimento e fortalecimento do banco.

Por fim, cobrado sobre o distanciamento da gestão anterior na discussão das questões relacionadas aos empregados, Paulo Henrique afirmou que a diretoria do banco não se furtará a discutir diretamente com o Sindicato aquilo que é de interesse dos empregados. Ele próprio se colocou à disposição do Sindicato para estabelecer uma pauta de discussão das questões relativas ao banco, com vista a solucioná-las. Ele disse que, pelo fato de a pauta do Sindicato (que é a pauta dos trabalhadores) ser de fortalecimento do BRB e defesa dos funcionários, assemelha-se muito à pauta dele e do governo, e que, embora reconheça que podem haver divergências, o objetivo de defender o banco e de valorizar os empregados é convergente.

“O Sindicato vê como uma vitória dos trabalhadores as palavras e reafirmações de Paulo Henrique na defesa do banco público e com a valorização dos trabalhadores. Esperamos que efetivamente possamos desenvolver uma pauta de discussão daquilo que vai ao encontro dos anseios dos empregados. Com certeza, com esta postura, acreditamos que podemos ter um período menos conflituoso e mais produtivo para o BRB”, finaliza Daniel de Oliveira, diretor do Sindicato.

Para Cristiano Severo, secretário-geral do Sindicato, “o ato do Sindicato e da Fetec-CUT com os funcionários do BRB foi bonito de se ver e uma grande demonstração do poder da mobilização dos bancários em defesa de seus direitos e na defesa da instituição. Ficou demonstrado que os funcionários se preocupam sim com o banco e que farão, juntos com o Sindicato, o que estiver ao alcance para a defesa do nosso Banco de Brasília.”

Da Redação