The Guardian denuncia ao mundo prisão política de Lula

The Guardian denuncia ao mundo prisão política de Lula Destaque

The Guardian denuncia ao mundo prisão política de Lula

Jornal britânico traz carta escrita por acadêmicos de importantes universidades inglesas, denunciando os abusos da prisão do ex-presidente



O The Guardian, considerado o principal jornal britâncico, publicou nessa sexta-feira, 8, texto de vários professores e intelectuais ingleses com críticas à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No texto, o jornal destaca que o ex-presidente é mantido em reclusão para que não participe como candidato nas próximas eleições. “Lula é um preso político e uma vítima de ‘lawfare’ – o uso indevido da lei para fins políticos”, ressaltam.

"Há provas contundentes de sua inocência e que ele foi julgado injustamente e preso, de modo a negar seu direito legítimo de concorrer às eleições presidenciais de outubro, onde atualmente lidera as pesquisas", diz o texto assinado por Prof. David Treece, do King's College de Londres; Prof. Alfredo Saad Soas, de Londres; Dr. Fiona Macaulay, da Universidade de Bradford; Dr. Francisco Dominguez, da Universidade de Middlesex, Londres; Dr. Yara Evans, do King's College Londres; e Sayuri Carbonnier, Consultora de Biocombustíveis das Nações Unidas.



Íntegra da carta:

Quinta-feira (7) marcou dois meses desde que o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva foi mandado para a prisão. Há provas contundentes de sua inocência e de que ele foi julgado injustamente e preso para ter negado o seu direito legítimo de se candidatar às eleições presidenciais de outubro, para as quais ele atualmente lidera as pesquisas. Especialistas jurídicos no Brasil e em todo o mundo apontaram as irregularidades de seu julgamento e as circunstâncias questionáveis de sua prisão.

O comitê de direitos humanos da ONU aceitou o pedido de Lula para investigar se os direitos humanos de Lula foram violados – a primeira vez que o Brasil foi chamado para prestar contas. Lula é um preso político e uma vítima de “lawfare” – o uso indevido da lei para fins políticos. Ele deve ser libertado e autorizado a concorrer à eleição para que possa exercer plenamente os seus direitos democráticos.


Fonte: CUT Nacional