Sindicato tem primeira reunião com Ibaneis após as eleições

Sindicato tem primeira reunião com Ibaneis após as eleições Destaque

Sindicato tem primeira reunião com Ibaneis após as eleições

O Sindicato se reuniu nesta segunda-feira (11) com o governador eleito do DF Ibaneis Rocha (MDB) para conversar sobre assuntos de interesse do BRB e de seus funcionários.
 
Os dirigentes sindicais iniciaram a conversa parabenizando o governador por sua vitória nas eleições. Para Antônio Eustáquio, diretor do Sindicato, “o governador teve uma vitória maiúscula, que demonstra o anseio de mudança por parte da população”.
 
A conversa foi norteada por posições tanto do Sindicato quanto do governador no sentido do fortalecimento do BRB e sua maior inserção nos diversos segmentos da sociedade. Nesse sentido, alguns assuntos foram abordados: a conversão da corretora de seguros em uma seguradora; maior agilidade e flexibilidade para fazer negócios, sem abrir mão da boa técnica e segurança; e investir no mercado de adquirência, que atua no credenciamento dos lojistas e permite a captura de transações feitas com cartões de crédito e débito. Para o fomento da economia local e desenvolvimento regional também foi abordada a importância das linhas de repasse como FCO e FDCO.
 
Cristiano Severo, diretor e secretário-geral do Sindicato, disse que todos esses aspectos devem ser observados para o fortalecimento do Banco de Brasília e desenvolvimento da economia local, fazendo assim com que a empresa avance no desenvolvimento de seu papel de banco público.
 
O também diretor do Sindicato Ronaldo Lustosa falou com o governador eleito sobre a necessidade de se ter uma tecnologia de ponta para o BRB e reforçou que isso passa por ouvir os funcionários do setor. O governador disse que julga indispensável que o BRB tenha sua TI funcionando bem.
 
Compromisso com o BRB público
 
O governador Ibaneis demonstrou estar inteirado da realidade do banco e disse que não pretende privatizar a instituição. Eduardo Araújo, presidente do Sindicato, perguntou se era um compromisso não privatizar o banco, e o governador respondeu que sim, que não faz parte de seus planos a venda do BRB, pois Brasília precisa dele. Ele afirmou, no entanto, que o BRB precisa dar respostas financeiras e evoluir muito em vários aspectos para consolidar sua permanência como uma empresa estatal.
 
Novo presidente do BRB é sabatinado pela CLDF



Nesta terça-feira (11), o futuro presidente do BRB, Paulo Henrique Bezerra Rodrigues Costa, foi sabatinado e teve o nome aprovado pela Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa em audiência pública. Indicado pelo governador eleito do DF, Ibaneis Rocha, ele assumirá o banco a partir de 1º de janeiro.
Na sabatina, Paulo Henrique defendeu um plataforma que inclui, entre outras medidas, a valorização dos funcionários; melhoria da informatização e a solução dos casos de servidores públicos “superendividados”. O administrador de empresas, que fez carreira no sistema bancário brasileiro, garantiu ainda que a instituição financeira "não será alienada".
Antes de ser sabatinado, ele explicou como será o período como principal gestor do BRB. "O banco é um patrimônio do povo de Brasília e tem um importante papel no desenvolvimento regional do Distrito Federal e Entorno, ou seja, da Região Metropolitana de Brasília", afirmou, insistindo que o papel da instituição financeira é, ainda, "contribuir para a geração de emprego e renda".
Ao ser indagado sobre os projetos e as soluções para problemas atuais do banco, Costa respondeu que irá aperfeiçoar os controles internos e de risco; estabelecer parcerias com diversas instituições do GDF e a academia; adequar a estrutura para ampliar o número de operações; operar com taxas de financiamentos menores para os pequenos empresários, por meio de recursos dos fundos constitucionais e do BNDES; além de aumentar o alcance do BRB, por meio de uma operação de banco digital, para superar barreiras geográficas.
Paulo Henrique Costa explicou também que irá estabelecer um programa de microcrédito, baseado na experiência do Banco do Nordeste, considerado modelo; e montar um plano estratégico para evitar os problemas de acesso ao BRB, especialmente nas datas de maior movimento, como em dias de pagamento. "Assumo o compromisso de construir um banco público ágil, eficiente e competitivo", resumiu.



Encontro com o Sindicato

Após a aprovação, o  Sindicato conversou de imediato com Paulo Henrique, que demonstrou, já em pouco tempo do anúncio de sua indicação, ter conhecimento de questões sensíveis e muito interesse na solução dos problemas, sem prescindir, segundo ele, do corpo funcional do Banco que é tão qualificado. Paulo reiterou sua posição dizendo que todo crescimento e fortalecimento que o BRB experimentará será junto com os funcionários e em decorrência do trabalho destes.

Os dirigentes sindicais e também funcionários do BRB Edson Ivo e Ivan Amarante forneceram algumas informações de pontos críticos nas agências que precisam ser resolvidos, tendo o  futuro presidente acatado as sugestões.

Na conversa ficou acertado que será estabelecida uma agenda de conversas para se planejar e discutir os interesses do BRB e de seus funcionários. 



Da Redação