Sindicato e equipe de vigilância em saúde fiscalizam PSO Malotes do BB

Sindicato e equipe de vigilância em saúde fiscalizam PSO Malotes do BB Destaque

Sindicato e equipe de vigilância em saúde fiscalizam PSO Malotes do BB



Em mais uma inspeção sanitária na busca por melhores condições de trabalho para promoção da saúde dos bancários, o Sindicato, representado pelo secretário de Relações Sindicais, Paulo Vinicius, visitou o PSO Malotes do Banco do Brasil, localizado na 515 Norte.

Realizada no dia 6 de junho, a atividade também contou com a participação de representantes do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Distrito Federal (Cerest-DF), da Vigilância Sanitária e da Superitendência do Trabalho do DF, além do bancário aposentado do BB Amadeu Alvarenga.

Segundo o presidente do Sindicato, Eduardo Araújo, serão realizadas ações semelhantes nos demais bancos. Anteriormente, outras unidades já foram fiscalizadas, entre elas a Ditec VI e o Cenop SIA Pastel.

“Além de conscientizar e mobilizar os bancários para ampliar os direitos da categoria, o Sindicato também luta para garantir um ambiente de trabalho condizente com as normas de saúde. Para isso, tem buscado apoio dos agentes públicos na área e, caso necessário, denunciará as irregularidades que encontrar”, afirma Araújo.

Segundo Paulo Vinícius, “as atividades de inspeção são importantes para que se verifique o sofrer do trabalhador em razão das relações de trabalho aviltadas e das cobranças de metas desumanas, principalmente 'transtornos mentais', que se dão em níveis epidêmicos”.

De acordo com o bancário Amadeu, militante do movimento da saúde do trabalhador, essas ações se alinham com a linha adotada pelo Sindicato, de disseminar conhecimento e provocar debates por meio de diversos eventos, entre eles os seminários sobre movimento negro e direitos da mulher, além do Fórum de Saúde do Trabalhador Bancário.

“Esse último propiciou essencial interação entre trabalhadores, pensadores de academias, movimentos sociais e representantes do serviço público, que são responsáveis pela saúde do trabalhador, cujos direitos são destroçados neste momento crítico da história brasileira”, afirma a secretária de Formação do Sindicato, Teresa Cristina.

Rosane Alves
Do Seeb Brasília