Sérgio Riede, ex-presidente da Cassi, pede voto na Chapa 1

Sérgio Riede, ex-presidente da Cassi, pede voto na Chapa 1 Destaque

Sérgio Riede, ex-presidente da Cassi, pede voto na Chapa 1


Meu amigo,
 
Como já fui presidente da Cassi, muitos amigos perguntam como me posiciono nesta eleição de 2018.
 
A situação delicada em que se encontra a Cassi se deve a múltiplos fatores.
 
Alguns, positivos, como a maior longevidade dos associados, o surgimento de novas formas de diagnóstico e a descoberta de novos medicamentos e novas tecnologias de tratamento.
 
Outros fatores também impactam o equilíbrio financeiro da Cassi: inflação médica acima do reajuste dos salários, redução do salário médio pago pelo BB, fraudes, judicialização da saúde, novas doenças e epidemias, despesas hospitalares sem auditoria in loco, necessidade de melhoria de gestão na própria Cassi, normas da ANS que tratam plano de autogestão (sem finalidade de lucro, como é a Cassi) da mesma forma que planos de mercado (que visam lucro), resoluções como as da CGPAR, que trazem seríssimas dificuldades para a área de saúde das empresas estatais e de economia mista e assim por diante.
 
Por todo este cenário, dá para sentir a complexidade que será exigida de todos os órgãos de governança da Cassi nos próximos anos. Vai ser preciso muito conhecimento sobre os problemas que afetam a Caixa de Assistência, muita competência técnica para formular as melhores propostas e, sobretudo, muita capacidade de articulação e de pressão para negociar com entidades de fora da Cassi. Será preciso competência Política (com P maiúsculo mesmo) e trânsito com todas as entidades representativas de funcionários para fazer os enfrentamentos necessários.
 
Reconhecemos que há bons candidatos em todas as quatro chapas que disputam as eleições, mas entendemos que apenas a Chapa 1 reúne todos os predicados necessários para atravessar este momento tão difícil da história da Cassi.
William Mendes já demonstrou todo o conhecimento que possui na área de saúde; e demonstrou, sobretudo, enorme capacidade de diálogo com todos os associados; reuniu-se com eles em conferências de saúde em praticamente todos os estados brasileiros; e prestou contas sistematicamente do seu mandato, nunca escondendo as dificuldades enfrentadas.
 
Fernando Amaral e Fabiano Félix trazem as experiências de participar do Conselho de Administração do Banco do Brasil, eleitos pelos funcionários; sabem como as coisas funcionam, inclusive que para conquistar decisões que beneficiem os funcionários é preciso muita persistência e muito amparo das entidades do funcionalismo. Além disso, ambos possuem importante experiência na própria Cassi.
 
Ana Paula Busato e Elisa Ferreira são colegas com extensa história de lutas a favor dos funcionários do Banco do Brasil.
Diusa e Mano são dirigentes respeitadíssimos do Sistema AABB, ela em Goiás e ele no Rio Grande do Sul. São  exemplos de pessoas que fazem as coisas acontecer e que não ficam apenas no lamento. Também exerceram cargos de liderança em agências e SUPER do BB. Sabem como mobilizar as pessoas para que se engajem nas boas batalhas.
 
Por tudo isso, em defesa da Cassi, votamos e indicamos a Chapa 1 como a mais qualificada para se integrar à gestão da Cassi nos próximos quatro anos.
 
Respeito completamente seu posicionamento se for a favor de outras das chapas concorrentes.
 
Grande abraço,
 
Sérgio Riede