Senadores queimam CLT e reforma trabalhista é aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos

VANDALISMO

Senadores queimam CLT e reforma trabalhista é aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos Destaque

Senadores queimam CLT e reforma trabalhista é aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos



Na noite desta terça-feira (6), a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou o texto-base da reforma trabalhista por 14 votos a favor e 11 contra. A votação do projeto (PLC 38/2017) acontece em meio à crise política do governo do presidente Michel Temer, que está sendo julgado pelo TSE e está na mira da Polícia Federal, devido à delação premiada do empresário Joesley Batista.

Em meio ao caos, a estratégia do governo é acelerar a agenda de votação da reforma. Nesse sentido, fez acordo com o relator, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), para que não houvesse modificações significativas no texto, para evitar uma nova análise pela Câmara. Ferraço também quer antecipar a edição de uma medida provisória para ampliar apoio dos senadores.

Com a aprovação na CAE, o texto será analisado agora pelas comissões de Assuntos Sociais (CAS) e de Constituição e Justiça (CCJ). Após esse trâmite, será submetido ao plenário. Mas há rumores de que será apresentado um requerimento de urgência para “pular” a CCJ. A intenção é concluir a reforma ainda no primeiro semestre deste ano.

Contra a classe trabalhadora

O governo insiste em dizer que a reforma é necessária para modernizar a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) e gerar mais empregos. Mas, para a classe trabalhadora, na verdade, as 100 propostas de mudanças na CLT não representam qualquer tipo de modernização do direito do trabalho.

Fortemente apoiada por entidades empresariais, a reforma traz vários retrocessos nas leis trabalhistas, entre eles a prevalência do negociado sobre o legislado, obstáculos ao ajuizamento de ações trabalhistas, limites a decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e flexibilização do contrato de trabalho.

Votaram contra a reforma em defesa dos trabalhadores

1- Kátia Abreu – PMDB

2- Roberto Requião – PMDB

3- Gleisi Hoffmann – PT

4- Humberto Costa – PT

5- Jorge Viana – PT

6- José Pimentel – PT

7- Lindbergh Farias – PT

8- Lídice da Mata – PSB

9- Otto Alencar – PSD

10- Vanessa Grazziotin – PcdoB

11- Acir Gurgacz - PDT

Votaram a favor da reforma destruindo os direitos trabalhistas

1- Garibaldi Alves Filho – PMDB

2- Raimundo Lira – PMDB

3- Simone Tebet – PMDB

4- Valdir Raupp – PMDB

5- Ricardo Ferraço (relator) – PSDB

6- José Serra – PSDB

7- José Agripino – DEM

8- Ronaldo Caiado – DEM

9- Wellington Fagundes – PR

10- Armando Monteiro – PR

11- Fernando Bezerra Coelho – PSB

12- Omar Aziz – PSD

13- Ciro Nogueira – PP

14- Vicentinho Alves – PR

 

Rosane Alves
Do Seeb Brasília