Na contramão do BRB, resultado da BRB Card decepciona

Na contramão do BRB, resultado da BRB Card decepciona Destaque

Na contramão do BRB, resultado da BRB Card decepciona



Em 2017, a Associação dos Empregados do BRB (AEBRB) foi responsável pelo aporte de mais de R$ 13 milhões na Saúde BRB, pois, conforme o custeio do plano de saúde, 25% das despesas operacionais são de responsabilidade da Associação. A AEBRB somente consegue fazer face a esta obrigação em função de suas receitas e, entre essas fontes, destaca-se a participação acionária na BRB Card, com 30,3% daquela empresa. Dessa forma, os dividendos da BRB Card constituem a principal fonte de receita da Associação.

Este é o principal motivo pelo qual é fundamental a BRB Card apresentar um desempenho que gere lucros consistentes e compatíveis com o mercado potencial do DF. Importante salientar que Brasília tem a maior renda per capita do país, e a maioria dos clientes efetivos e potenciais da BRB Card são servidores do GDF, que possuem renda mensal certa e relativamente elevada.

Diante desse mercado promissor, a tarefa de alcançar ótimos resultados pela BRB Card se torna menos difícil do que para outras empresas que operam meios de pagamento. Porém, não é o que está sendo observado. A gestão errática que conduz a BRB Card desde 2015 apresentou mais uma vez um balanço declinante e preocupante no ano de 2017. Contrariando o resultado obtido por outras operadoras de meios de pagamento, e ainda o recorde de lucro apresentado pelo BRB, a BRB Card apresentou resultado menor do que no ano anterior (2016) e bem inferior ao de 2014, quando a empresa teve o maior lucro de sua história: R$ 97 milhões.

Embora os R$ 77,4 milhões apresentados no balanço pode parecer um bom resultado à primeira vista, quando se analisa esse desempenho, evidencia-se que, deste números, R$ 34,1 milhões foram gerados pela Corretora de Seguros BRB e transferida à Cartão por equivalência patrimonial.

Reversão de provisão

Outro aspecto que impactou no resultado refere-se a reversão de provisão de R$ 16 milhões ocorridas no ano de 2017. Assim, é fácil aferir que a empresa apresentou de resultado próprio apenas R$ 27,3 milhões, muito aquém de sua capacidade, haja vista os vistosos resultados apresentados por empresas congêneres ligadas a outros bancos, como BB Seguros e Bradesco Seguros.

“Esses resultados decepcionam e trazem preocupações, pois 30,3% das ações da BRB Card pertencem à AEBRB, e, dos recursos da AEBRB, a maior parte destina-se ao pagamento de parte das despesas do BRB Saúde. Preocupante essa situação, especialmente em um cenário de forte elevação dos custos da saúde ”, comenta Eustáquio Ribeiro, diretor do Sindicato e conselheiro deliberativo da Saúde BRB.

O BRB, enquanto controlador da BRB Card, e a AEBRB, acionista minoritária, devem ficar atentas a esses resultados e cobrar mais eficiência da direção da empresa. Aliás, importante perguntar se os executivos da BRB Card, especialmente seu presidente, principal executivo da empresa, têm alcançado as metas determinadas pelo Conselho de Administração, pois os resultados apresentados, na contramão do que acontece com o banco, têm decepcionado.

Da Redação