Hora de fortalecer a luta por garantia de direitos e por melhorias no plano

ELEIÇÃO NA CASSI

Hora de fortalecer a luta por garantia de direitos e por melhorias no plano

Hora de fortalecer a luta por garantia de direitos e por melhorias no plano

O Sindicato apoia a Chapa 1 – Em Defesa da Cassi em razão da qualificação técnica e do histórico de comprometimento de seus integrantes com os funcionários da ativa e os aposentados do BB



Os empregados da ativa e aposentados do Banco do Brasil estão convocados a participar entre 16 e 28 de março da eleição que renovará parte da Diretoria Executiva, do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal da Cassi, entidade gestora dos dois planos de saúde oferecidos aos usuários e que hoje atendem mais de 800 mil vidas.

Trata-se, portanto, de compromisso de indiscutível importância e intransferível, com repercussão tanto no aspecto individual como coletivo. Os empregados em atividade votam pelo SISBB e os aposentados votam nos terminais de autoatendimento.

A eleição acontece em momento delicado para a Cassi. Conforme destaca o diretor do Sindicato, Kleytton Morais (foto abaixo), “além dos problemas que precisam ser debatidos e equacionados, em associação com propostas de aperfeiçoamento da autogestão, de ampliação do modelo assistencial de Atenção Primária (APS) e de aprimoramento da Estratégia Saúde da Família (ESF), entre outras, é necessário que esse processo eleitoral impulsione a organização e a mobilização contra os ataques do governo Temer aos planos de saúde com autogestão”.


"É necessário que esse processo eleitoral impulsione a organização e a mobilização contra os ataques do governo Temer aos planos de saúde com autogestão”


O Ministério do Planejamento baixou resolução, a CGPAR 23, que inviabiliza o modelo de autogestão em saúde nas estatais. Entre outras coisas, ela proíbe que os custeio da empresa seja maior que o dos funcionários, retira o custeio para a fase pós laboral e determina cobrança por dependente. Ficam proibidas novas adesões aos planos e é instituída a figura de reembolso para novos funcionários - os trabalhadores que ingressarem nas empresas públicas serão forçados a procurar planos de saúde privados.

Apoio à Chapa 1

O Sindicato dos Bancários de Brasília definiu apoio à Chapa 1 – Em Defesa da Cassi por considerar que ela reúne pessoas com qualificação técnica e com histórico de luta por garantia de direitos e por mais conquistas para os funcionários da ativa e os aposentados do Banco do Brasil.

Encabeçada por William Mendes, atual diretor de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi, a Chapa 1 é integrada ainda por Fernando Amaral Baptista Filho (RJ) e Fabiano Felix do Nascimento (PE), candidatos a conselheiros deliberativos titulares, tendo como suplentes Ana Paula Araújo Busato (PR) e Elisia de Fiquiredo Ferreira (SP), e por Diusa Alves de Almeida Almeida (SP) e Carlomagno Goebel (RS), candidatos a, respectivamente, titular e suplente do Conselho Fiscal.

A Chapa 1 defende o fortalecimento e ampliação da ESF e das CliniCassi, assim como dos programas e das políticas de saúde. E condena medidas que impliquem em ônus para os associados e em redução do custeio para o banco, como cobrar por dependente, por idade, por uso, por perfil epidemiológico, impor franquia nas internações, aumentar coparticipações, reduzir ou extinguir programas de saúde.

Os integrantes da Chapa 1 estão percorrendo o país para debater com os associados e já se colocando à frente da mobilização conjunta com trabalhadores de outras estatais para o combate às resoluções da CGPAR, que destroem os planos de saúde com autogestão. A defesa intransigente dos direitos dos associados da Cassi inclui ainda a manutenção da solidariedade no plano de assistência, princípio que deve abranger todos os funcionários do BB: da ativa, aposentados e futuros bancários.

Boletins da Cassi

Em defesa da Cassi



CliniCassi. Essencial para o associado Bom para a Cassi



Não deixaremos o banco fragilizar a Cassi



As mulheres da Chapa 1



Defesa da Cassi requer Unidade


CHapa 1 não aceita que novos concursados sejam excluídos da Cassi




Da Redação