Delegação eleita para os congressos nacionais reforça luta por nenhum direito a menos

CAIXA E BB

Delegação eleita para os congressos nacionais reforça luta por nenhum direito a menos Destaque

Delegação eleita para os congressos nacionais reforça luta por nenhum direito a menos

Nenhum direito a menos foi o mote da assembleia geral desta terça-feira (30) que elegeu a delegação do Distrito Federal para participar do 28º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB) e do 33º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef), que acontecerão em São Paulo entre os dias 30 de junho e 2 de julho.

A assembleia também deliberou sobre as reivindicações específicas a serem apresentadas nos congressos, que tratarão, entre outros temas, da pauta dos anos anteriores, reestruturação, planos de saúde, condições de trabalho e defesa dos bancos públicos. Outras propostas podem ser enviadas pelos trabalhadores para o Sindicato até o dia 7 de junho para serem incorporadas às propostas finais que serão compiladas pelos delegados eleitos.

Análise de conjuntura: resistir contra as reformas

O diretor de Formação da Fetec-CUT/CN, Jacy Afonso, fez referências à história de golpes no Brasil e falou de temas relacionados à conjuntura nacional, conclamando os bancários a reforçarem as fileiras contras as reformas trabalhista e previdenciária e na construção de ações que têm como objetivo o enfrentamento ao pacote de medidas propostas pelo governo Temer contra a classe trabalhadora.

“Neste momento e nesta conjuntura, o papel dos bancários da Caixa e do BB é de fundamental importância do ponto de vista das representações das entidades dos trabalhadores que estão acordando para os problemas que enfrentaremos caso a reforma trabalhista passe. Se isso acontecer, iremos perder tudo que conquistamos ao longo de muitos anos e de muita luta. Junto com toda a classe trabalhadora, somos contra essa reforma que, talvez, seja tão nefasta quanto a previdenciária”, explicou Jacy Afonso.

Unidade na luta


Na abertura da reunião, a diretora da Contraf-CUT Bárbara Peixoto saudou a assembleia e destacou a importância do trabalho em conjunto para fortalecer a luta pela conquista e pela garantia dos direitos dos trabalhadores.

“Estamos vivendo uma verdadeira crise de representação democrática e de ataque aos movimentos sindicais e sociais. Um momento de grande incerteza e de mostrar o verdadeiro projeto que luta para ampliar os direitos da classe trabalhadora”, afirmou Bárbara.

Em seguida, o presidente do Sindicato, Eduardo Araújo, ressaltou a validade de dois anos do acordo coletivo firmado no ano passado e enfatizou a permanente luta na defesa dos bancos públicos.

“Os bancários de Brasília têm um papel central, também, na luta contra a privatização dos bancos estatais, principalmente por ter aqui a sede das duas maiores instituições públicas do país”, acrescentou.

Participação de todos


Os diretores e representantes do Sindicato nas comissões de empregados nas mesas de negociação do BB, Rafael Zanon, e da Caixa, Wandeir Severo, falaram das questões específicas dos respectivos bancos que serão debatidas nos congressos, incluindo itens que garantem os direitos sociais até setembro de 2018.

Zanon destacou, ainda, a participação de todas as entidades representativas da categoria para o fortalecimento da luta por nenhum direito a menos e também contra a privatização dos bancos públicos. “É fundamental a unidade de todas as entidades neste momento de embate e de resistência.”

Wandeir falou de questões relativas às negociações com a Caixa e ressaltou a morosidade e as dificuldades que têm caracterizado as últimas mesas. Segundo ele, a Caixa é um dos bancos mais duros para se negociar. Prova disso é o corte de ponto dos empregados que participaram da Greve Geral do dia 28 de abril.

“Assim também estão sendo as negociações sobre contratações, Saúde Caixa, e outros temas. Esses são exemplos da força que teremos que fazer este ano. Nossa unidade vai ser fundamental para resolver nossos problemas, que não se resumem apenas na categoria bancária”, reforçou Wandeir.

Unidades representativas

Participaram da assembleia diretores de entidades associativas desses bancos, entre eles os presidentes da Associação Nacional dos Fundos de Pensão (Anapar), Antônio Bráulio de Carvalho, e da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), Jair Pedro Ferreira, além dos vice-presidentes do Conselho Deliberativo da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB), Haroldo Vieira, de Relações Funcionais, João Botelho, de Relações Institucionais, e o diretor de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi, William Mendes.

Encaminhamentos

Até o dia 15 de junho, os delegados eleitos se reunirão para definir quais reivindicações serão encaminhadas aos congressos nacionais.

Para contribuir com a discussão, os interessados devem enviar suas propostas para o e-mail atendimento@bancariosdf.com.br, até a próxima quarta-feira (7).

 Assista:

Rosane Alves
Do Seeb Brasília