Defesa do Saúde Caixa passa pela unidade dos empregados, reforça ato  

CAMPANHA EM DEFESA DO PLANO DE SAÚDE

Defesa do Saúde Caixa passa pela unidade dos empregados, reforça ato   Destaque

Defesa do Saúde Caixa passa pela unidade dos empregados, reforça ato  
Vestindo branco, empregados e empregadas da Caixa de todo o país promoveram atos nesta quarta-feira (20) em defesa do plano de saúde da empresa. Em Brasília, a atividade foi realizada em frente ao Matriz II e contou com a participação expressiva de empregados da ativa e aposentados para reforçar a importância do Saúde Caixa.
 
O protesto reiterou o repúdio dos trabalhadores às propostas do governo de Michel Temer que, a partir da resolução CGPAR 23, pretende cortar os planos de saúde dos funcionários das empresas públicas. 
 
Saúde Caixa: eu defendo

A atividade desta quarta-feira (20) faz parte da campanha ‘Saúde Caixa: eu defendo’, que é uma iniciativa coletiva da Contraf-CUT, Fenae, Fenacef, Fenag, Advocef, Aneac, Social Caixa e Anacef contra as novas medidas propostas pelo governo.
 
Para a diretora do Sindicato e empregada da Caixa Rafaella Gomes, os empregados não têm outra saída que não seja a mobilização. “Os assistidos pelo Saúde Caixa estão enfrentando dificuldades com o atendimento precário, cujo objetivo é o desmonte do plano. Sem falar que, além de enfraquecer as autogestões, o governo também está quebrando o SUS”, destaca Rafaella.
 
 
Fabiana Uehara, diretora do Sindicato e da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), afirma que “a luta pelo Saúde Caixa é de todos os empregados e usuários. É uma conquista histórica e que, com unidade e mobilização, iremos manter. É ‘Todos por tudo!’”, disse, numa referência ao mote da Campanha Nacional 2018.
 
“Todos os empregados e empregadas da Caixa precisam ter consciência do que está em jogo. Estamos lutando para defender um plano de saúde que atende tanto colegas da ativa quanto aposentados e que é superavitário. Contamos com a participação de todos para manter os direitos que conquistamos com muita luta”, destaca a diretora da Federação dos Bancários do Centro Norte (Fetec-CUT/CN) Ilva Alves, a Duda.
 
CGPAR 23

O Ministério do Planejamento do governo Temer publicou, em 26 de janeiro, a resolução CGPAR 23. As mudanças impõem uma série de alterações para as autogestões em saúde, colocando em risco a manutenção do Saúde Caixa e dos demais planos de saúde dos trabalhadores de estatais.
 
A medida anunciada por Temer e pelo ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles também sinaliza o aprofundamento da estratégia do governo em levar a cabo a privatização das empresas públicas brasileiras. As tentativas de desmonte seguem os ditames do mercado ao passo que enfraquecem as instituições, deixando-as nos moldes exigidos pelos compradores privados, atuais mandatários do governo.
 
Joanna Alves
Do Seeb Brasília