Curso de paternidade responsável já certificou 129 futuros pais bancários

Curso de paternidade responsável já certificou 129 futuros pais bancários Destaque

Curso de paternidade responsável já certificou 129 futuros pais bancários


O Sindicato já certificou até agora 129 bancários participantes do curso de Paternidade Responsável, promovido pela entidade. Como o documento, eles estão aptos a usufruir da licença-maternidade ampliada de 5 para 20 dias.

Gratuito para os sindicalizados, o curso tem um custo de R$ 180 para os bancários não associados.

No dia 22 de maio, 12 bancários e 5 esposas participaram do curso. Na ocasião, a enfermeira obstetra da Clínica da Saúde do BRB, Dayane Alessandra (foto abaixo), esclareceu dúvidas e deu dicas práticas aos futuros papais sobre os cuidados com os bebês e com as mamães, antes e depois do parto. E também falou sobre a importância da clínica para os funcionários do banco.

“A Clínica da Saúde, inaugurada em maio de 2014, tem foco na Atenção Primária à Saúde, que consiste na assistência de forma integrada e contínua. O objetivo é atuar desde a prevenção de riscos e a promoção à saúde, quando os beneficiários ainda estiverem saudáveis, até o momento em que necessitem de reabilitação contínua”, esclareceu Dayane.

Já no dia 20 de junho, o curso contou com a presença de mais 12 bancários e 4 esposas. Desta vez, Adriana Carvalho, enfermeira do SUS, novamente foi a responsável pelos esclarecimentos necessários sobre como cuidar dos bebês e das mães, nesse período da vida.

A presença das profissionais de saúde no curso de Paternidade Responsável é fruto da parceria entre o Sindicato e SUS – Posto de Saúde nº 8 (514/515 Sul) e a Clínica da Saúde do BRB.

Carga horária

Durante o curso, composto por nove unidades e carga horária de 12h, os bancários aprendem mais sobre a importância da participação do pai no desenvolvimento físico e psicológico das crianças, além de conhecer mais detalhes sobre o processo de antes e depois do parto e cuidados com a mãe e o bebê. 

“O curso também pode ser feito por pais que optaram por adotar, inclusive para casais homoafetivos”, ressalta a secretária de Formação do Sindicato, Teresa Cristina. Ela lembra que é uma excelente oportunidade para os participantes trocarem experiências e se conscientizarem da importância de colaborar com a parceira nos cuidados com o recém-nascido.

Regras

Para ter direito à ampliação da licença-paternidade, prevista na cláusula 26 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários, é necessário que o trabalhador faça o curso na plataforma online, participe da palestra realizada na sede do Sindicato e apresente o certificado do curso ao banco.

O bancário também precisa solicitar o benefício por escrito ao banco em até dois dias úteis após o nascimento do filho. A regra também vale para os casos de adoção, inclusive para casais de bancários homoafetivos.

Mariluce Fernandes
Do Seeb Brasília