BB: Denúncia da Contraf-CUT no MPT tem primeira audiência

BB: Denúncia da Contraf-CUT no MPT tem primeira audiência Destaque

BB: Denúncia da Contraf-CUT no MPT tem primeira audiência

Bancários reafirmam que banco deve proteger funcionários nas reestruturaçõese mediação no MPT



O Banco do Brasil deve proteger os funcionários no caso de reestruturações, principalmente, com a manutenção dos salários. Este foi o resultado da primeira audiência de mediação no Ministério Público do Trabalho (MPT), realizada nesta quinta-feira (10), após denúncia da Contraf-CUT contra o BB pelo descomissionamento de cerca de 700 caixas em todo o país.

Na audiência, os representantes dos trabalhadores ratificaram o pedido feito em mesa de negociação de que os caixas devem ter o mesmo tratamento dos demais cargos, com a manutenção mínima de Verba de Caráter Pessoal (VCP) de quatro meses.

O banco se manteve intransigente quanto à VCP, que mantém a remuneração ou mesmo manter a gratificação de caixa para os descomissionados, mas prometeu levar para a próxima audiência um estudo sobre a realocação com priorização em locais próximos.

Para Rafael Zanon, diretor do Sindicato e representante da Federação do Centro Norte (Fetec-CUT/CN) na Comissão de Empresa, o banco precisa tratar todos os funcionários com igualdade. "São cerca de 700 pessoas atingidas com a redução significativa do salário. O BB não pode descomissionar esses trabalhadores, reduzindo seus salários. Os bancários devem ser realocados em comissões", destaca Zanon, que participou da audiência.

A nova audiência foi marcada para o dia 12 de junho próximo.

Fonte: Contraf-CUT