Banco precisa romper contrato com Falconi por conflito de interesses

Banco precisa romper contrato com Falconi por conflito de interesses Destaque

Banco precisa romper contrato com Falconi por conflito de interesses



O Caref Fabiano Felix exigiu explicações da diretoria do BB sobre o contrato com a Falconi Consultoria de Resultados, feito sem licitação com uma empresa que tem como conselheiro de administração o Sr. Pedro Moreira Salles, do concorrente Itaú Unibanco.

A Diretoria do BB respondeu formalmente que a empresa foi contratada de maneira regular por ter notória especialização, com base em parecer jurídico interno favorável. Quanto ao conflito de interesses, o BB alega que contratou a INDG S.A, braço operacional do grupo Falconi e controlada pela Falconi Participações S.A. e Falconi Participações Ltda, que o contrato tem cláusula de confidencialidade e que o Conselho de Administração da controladora não tem qualquer ingerência sobre a empresa operacional. O contrato com a INDG termina em novembro de 2017. A íntegra da resposta está em nossa página do facebook/fabianocaref.

O representante dos funcionários no Conselho de Administração, Fabiano Felix, considera que a contratação sem licitação, mesmo não sendo ilegal, não é recomendável pelas boas prática de gestão na administração pública, inclusive nas sociedades de economia mista. Proporá ao Conselho de Administração mudanças na política de contratação, para evitar a banalização de contratos deste tipo.

Fabiano também considera que o conflito de interesses não está afastado, já que o presidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco, Pedro Moreira Salles, é conselheiro de administração da Falconi Consultoria de Resultados. O site da Falconi mostra que a INDG foi fundada em 2003 e em 2012 alterou seu nome para Falconi Consultores de Resultado e, portanto, no entendimento do Caref poderá sim haver interferência do concorrente nos negócios da empresa contratada pelo BB.

Fabiano proporá o imediato rompimento deste contrato e alteração na política de contratações do banco para impedir contratos com empresas direta ou indiretamente controladas por concorrentes.

Fonte: Fabiano Felix, representante dos bancários do BB no Conselho de Administração da instituição