Alvo de críticas do Sindicato, GDP é usado pela Caixa para ameaçar empregados

Alvo de críticas do Sindicato, GDP é usado pela Caixa para ameaçar empregados Destaque

Alvo de críticas do Sindicato, GDP é usado pela Caixa para ameaçar empregados

A Caixa Econômica Federal vem confirmando as críticas feitas pelo movimento sindical ao GDP ao se utilizar do programa para pressionar os empregados pelo cumprimento de metas.

Os problemas têm início já no ato de assinatura de Acordo de Desempenho, documento que cancela o compromisso do empregado de atingir os resultados descritos. Depois, na etapa de avaliação, o trabalhador enfrentará outro imbróglio: será julgado pelas habilidades técnicas e pelas competências comportamentais, de alto grau de subjetividade. Esta avaliação deve ser feita até 31 de dezembro de 2018.

“Conforme estamos denunciando há tempos, a caixa iludiu os empregados com o GDP, vendendo a ideia de que o programa seria um instrumento de aprimoramento dos empregados. Na verdade, o método utilizado agrava a comparação entre pessoas da mesma equipe, individualizando um trabalho que é coletivo; estabelece ranking interno, classificando os empregados de acordo com o desempenho individual; e gera alto estresse por conta do assédio, da pressão e da falta de empregados nas unidades. Além disso, a negociação entre gestor e empregado, prevista no programa, não acontece. O que há é uma imposição unilateral das metas. É uma gestão por ameaça", enumera Fabiana Uehara, diretora do Sindicato e da Contraf-CUT.

Da Redação