Sindicato discorda da renovação de contrato de locação do prédio da TI no SIA

BRB

Sindicato discorda da renovação de contrato de locação do prédio da TI no SIA Destaque

Sindicato discorda da renovação de contrato de locação do prédio da TI no SIA
O contrato de aluguel do prédio da TI do BRB, localizado no SIA, que se encontra em fase de renovação, traz à tona as desconfianças geradas por ocasião da sua primeira locação, em 2014. O Sindicato considera o preço abusivo e fora da média – de R$ 160 mil passará para mais de R$ R$ 200 mil. Segundo pesquisa da entidade, há prédios disponíveis e com preços mais baixos nas proximidades do endereço atual.
 
Além disso, o Sindicato questiona por qual razão o banco nunca planejou a construção de uma sede própria para abrigar a informática no lote que dispõe, desde 2013, na Cidade Digital, a 5km de Brasília. E cobra um local com condições mais dignas de trabalho. 
 
Em 2014, quando a TI foi transferida para o SIA, a insalubridade do ambiente laboral foi comprovada por uma inspeção feita na unidade por técnicos de segurança do trabalho. Foi constatado que o prédio apresentava diversas pendências que apontavam realmente uma situação precária. E o pior: acomodando os funcionários sem as mínimas condições exigidas.
 
À ocasião, o Sindicato considerou a localização isolada e insegura – os carros dos funcionários eram deixados na frente do prédio, o que facilitava frequentes arrombamentos, com estacionamento improvisado e ausência de transporte público. Além disso, havia muita poeira e presença de dutos de combustível em frente ao prédio, que apresentava odor de fossa séptica, banheiros incompatíveis com as necessidades de uso e ausência de escape em caso de emergência, entre outros problemas.
 
No entanto, ainda hoje, quatro anos depois, tais condições persistem, o que demonstra o desacerto do negócio. Por isso, o Sindicato reitera que essa transferência foi desastrosa e argumenta que a insistência do BRB em permanecer no mesmo local é inexplicável e no mínimo suspeita, ainda mais levando-se em conta o alto valor do aluguel do imóvel, cujo índice de renovação do contrato está muito acima do cobrado pelo mercado.

Mariluce Fernandes
Do Seeb Brasília