Diretores indicados pelo BB e eleito Satoru planejam suspender pagamentos e descredenciar

CASSI

Diretores indicados pelo BB e eleito Satoru planejam suspender pagamentos e descredenciar Destaque

Diretores indicados pelo BB e eleito Satoru planejam suspender pagamentos e descredenciar

Resultado de imagem para cassi quebrada

O Sindicato dos Bancários de Brasília e os associados vão pedir esclarecimentos ao Banco do Brasil e à diretoria da Cassi sobre denúncia recebida após o resultado da votação da Caixa de Assistência dos Funcionários.

Diz a denúncia: "Foi montado um grupo com os Gerentes do Sr. Satoru e das Unidades de Brasília, Rio de Janeiro, Bahia, São Paulo e Paraná com o objetivo de criar plano de contingência com intuito de interromper o pagamento a prestadores de serviço e efetivar descredenciamentos seletivos. Essa orientação foi enviada a todas as Unidades do Brasil que neste momento estão escolhendo quais prestadores serão pagos e quais serão descredenciados".

Diante disso, o Sindicato pede aos Conselhos de Usuários e aos associados em sua localidade que procurem urgentemente o gerente da sua unidade para verificar essa informação. 

Se confirmada, pode-se dizer que, com profunda falta de sensibilidade e desconhecimento do mercado de saúde, essa denúncia nos levará à paralisação em massa do atendimento aos Associados. 

Assim que a notícia vazar ao mercado, os principais prestadores de serviço suspenderão o atendimento - e não somente aqueles escolhidos pela Cassi. Isso significa quebra unilateral de contrato, e nenhum prestador, sob o risco de não receber, continuará a atender aos participantes da Caixa de Assistência. Os associados serão seriamente atingidos e o plano de saúde terá muita dificuldade para restabelecer o atendimento e a confiança no mercado.

Risco jurídico

Ao adotar essa posição, que atinge não somente o Plano de Associados mas também o Cassi Família, a Cassi será alvo de uma chuva de ações judiciais e reclamações junto à ANS, com risco de multas milionárias.

Antes que isso aconteça e procurando medidas emergenciais para evitar prejuízos e mortes, a Contraf-CUT já solicitou abertura das negociações para que seja definida de maneira racional a melhor saída para a Cassi.

Da Redação